Projeto Patrimônio Cultural Edificado da Região Metropolitana de Curitiba

Ao longo do tempo, o processo social de transmissão das heranças culturais e históricas é abarcado por um processo oficial, que escolhe e regulamenta normativas para a preservação do patrimônio edificado. Em Curitiba (PR), essa preservação se torna parte da política municipal de forma mais efetiva a partir de 1966 com o estabelecimento de diretrizes no Plano Diretor e em 1971, quando delimitado o Setor Histórico de Curitiba.

Nesse contexto, a pesquisa do Plano de Preservação do Acervo Cultural de 1977, da COMEC, é uma das mais aprimoradas e amplas sobre o acervo de edificações antigas da região. Coordenada pelo Arquiteto e Urbanista Cyro Corrêa de Oliveira Lyra, a equipe, ampla e multidisciplinar, pesquisou mapas e caminhos antigos, ciclos econômicos, a história oficial e a história oral, percorreu estradas, estradinhas e becos para encontrar, registrar e planejar a partir do acervo cultural encontrado, com sua base regional e com peculiaridades locais. 

Configurando uma das etapas do PPAC-RMC, a pesquisa se configurou em um inventário com aproximadamente 1150 edificações pesquisadas, localizadas em Curitiba e nos 13 municípios que, à época, configuravam sua Região Metropolitana.

Com uma abrangência maior, em Curitiba foram pesquisadas 577 edificações, das quais 363 foram inventariadas em uma etapa de aprofundamento de coleta e sistematização de informações. Essa pesquisa serviu de base para compor a lista constante no Decreto nº 1547/79, que definiu 586 edificações como Unidades de Interesse de Preservação (UIPs).

Na maioria dos municípios da Região Metropolitana, é uma pesquisa única, sem antecedentes, e muitas vezes desconhecida dos gestores municipais, salvo exceções como São José dos Pinhais, que incrementou a preservação do seu patrimônio cultural e Piraquara, que vem construindo políticas públicas de reconhecimento e valorização do seu acervo.

Em todos os casos, a pesquisa de 1977 é essencial para a gestão do patrimônio cultural edificado. As informações ali presentes contribuem de diversas maneiras por meio dos dados históricos e arquitetônicos, das informações das localidades e das fotografias da época, que configuram um retrato importantíssimo desses municípios há quatro décadas, sendo base para pesquisadores, técnicos e gestores. 

Para contribuir com a produção e difusão de conhecimentos sobre esse acervo patrimonial, este projeto cultural se propôs a rever o conteúdo do Plano de Preservação do Acervo Cultural (PPAC), cujos originais são parte do acervo da Comec. Iniciamos em 2016, com o projeto cultural Patrimônio Edificado de Curitiba: armazenamento digital e sistematização de informações das Unidades de Interesse de Preservação (UIPs), no âmbito da Lei de Incentivo à Cultura de Curitiba; e, seguimos em 2019 e 2020, com o projeto Patrimônio Edificado da Região Metropolitana de Curitiba, amparado na Lei de Incentivo à Cultura do Estado do Paraná.

Ainda em andamento, os resultados da pesquisa serão disponibilizados em breve neste site e em uma publicação impressa. Para os próximos meses, nossa equipe ainda tem muito trabalho pela frente. Serão finalizadas as expedições em campo e ministradas as oficinas nos municípios da RMC. 

 

Abaixo, conheça o nosso caderno de educação patrimonial, material utilizado em oficinas com adultos:

Projeto aprovado no 2°edital do Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura do Paraná (PROFICE): ‘6735 -Patrimônio Cultural Edificado da Região Metropolitana de Curitiba.